7 dicas que você tem que saber antes de viajar a Cancún

Um cenário paradisíaco com o mar azul turquesa, típico do Caribe, localizado no estado mexicano de Yucatan e rodeado por atrações que vão muito além das praias e dos hotéis. Cancún é um ótimo lugar para quem gosta de mergulhar, deseja conhecer a história dos maias, desbravar cavernas e montanhas ou admirar pirâmides.

A cidade também é democrática em agradar aqueles que preferem uma viagem independente de guias ou aqueles que preferem comprar um pacote. O destino oferece diversas opções aos dois tipos de viagem. Se quiser um meio termo, você pode ir sem pacote e comprar opções de passeios guiados nas agências de turismo. De toda forma, Cancún será uma experiência inesquecível.

Se você planeja essa viagem dos sonhos, aproveite as dicas que a momondo, buscador de passagens aéreas e hotéis, selecionou  para que tenha as férias perfeitas para combinar com o seu perfil de viajante. Então, antes de garantir suas passagens para Cancún veja todas essas dicas.

A melhor época para viajar:

Muitos turistas chegam à conclusão de que a melhor época do ano para ir à Cancún é entre dezembro e fevereiro. As pessoas costumam evitar o período entre o início de junho e o final de novembro, quando há mais chances de encontrarem chuvas do que um sol convidativo para curtir praias. Embora a probabilidade seja pequena, esses meses a evitar também contam com mais chances de ocorrer furacões.

Por que a melhor época do ano para visitar Cancún não inclui os meses de março a maio?
Porque essa é uma fase fria na América do Norte e uma grande quantidade de turistas americanos vai para o balneário, incluindo os universitários que vão curtir o Spring Break.

Quem busca férias sossegadas deve evitar. E quem se empolga com a badalação pode reservar o hotel com bastante antecedência, porque os estudantes começam as reservas até um ano antes, por isso as vagas dos melhores lugares se esgotam com facilidade. É importante lembrar que durante o Spring Break, os preços de restaurantes, hotéis e passeios costumam subir bastante.

A documentação necessária:

Para ir para Cancún, porém, é necessário ter atenção quanto à rota que o seu avião fará. Algumas opções de voos fazem escala nos aeroportos dos Estados Unidos e, neste caso, você terá que obter o visto americano.

Se você já o tem, saiba que fazer escala por Miami pode ser mais barato do que seguir da Cidade do México para lá.

Você pode permanecer no México por até 90 dias. É permitido também que volte no mesmo ano para permanecer por outros 90.

A recomendação é que você tenha em mãos o passaporte com mais seis meses de validade a partir da entrada no país, as reservas do hotel e a passagem de volta ao Brasil.

A moeda local:

Lua-de-mel-Cancun2

Comprar pesos mexicanos não é vantajoso no Brasil. Os turistas acabam levando dólares para fazerem o câmbio já no México, onde as cotações são mais vantajosas, ou utilizando a moeda norte-americana mesmo, já que é aceita com frequência pelo comércio local. Porém, seu troco virá em moeda mexicana.

Ser a favor da máxima “quem converte não se diverte” pode custar bastante caro.

Se você estiver mais apegado à realidade e não tiver tempo ou habilidade para ficar calculando tudo a toda hora, é melhor levar uma tabelinha de conversão atualizada de acordo com o câmbio do momento em que estiver para viajar. Assim, é possível incluir valor em pesos e correspondentes em dólares e em reais, um em cada coluna.

Caso pense em utilizar cartão de crédito, lembre-se que na data da conversão, o câmbio pode estar mais ou menos favorável e que deve-se somar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

O cartão de débito e o cartão pré-pago têm a vantagem de não haver surpresas com a fatura e de ter mais segurança do que levar dinheiro em espécie. Porém, mantém a cobrança de IOF.

A maioria dos hotéis trocam as moedas, mas você encontrará cotações melhores nas casas de câmbio e nos bancos.

Resorts e hotéis:

Se quiser passear alguns dias fora do hotel, visitando as ruínas Maias, por exemplo, não reserve um pacote all inclusive. Poderá não valer a pena.

Os hotéis variam de acordo com o bolso. Os mais caros e maravilhosos resorts estão na zona hoteleira, uma área moderna de Cancún. Ficam um ao lado do outro, com acesso direto à praia, ao longo da principal avenida, Bldv. Kukulcán, onde também estão localizados shoppings, restaurantes e bares.

Alguns resorts cinco estrelas, que só aceitam adultos, como o Secrets The Vine, Le Blanc Spa Resort e Live Aqua. Se você preferir ir a um resort cinco estrelas com a família, há o ME Cancún e o Paradisus Cancún. As diárias all inclusive desses custam a partir de R$ 1500.

Na zona hoteleira, há resorts um pouco menos luxuosos, cujas diárias all inclusive custam a partir de R$ 500. Alguns exemplos são: The Royal  Cancún, CasaMagna, Omni Cancún, JW Marriott, Fiesta Americana, The Westin Lagunamar, Great Parnassus, Crown Paradise e Presidente InterContinental.

Além destes, você pode optar por hotéis convencionais, que incluem apenas o café da manhã, onde é possível encontrar diárias a partir de R$ 300. Você não estará hospedado à beira do mar, mas ainda estará próximo à praia. Alguns exemplos são Hotel Calypso Cancún, Sotavento Hotel & Yacht Club e Real Inn Cancún by Camino Real.

Na região central, há hospedagens mais simples e com custos menores, com diárias entre R$ 100 e R$ 200. Eles atendem bem os quesitos de serviços, mas têm a desvantagem de estarem mais distantes do mar. Algumas opções são: One Cancún Centro, Hotel Soberanis, Mexicasa Hotel Boutique e o Adhara Hacienda.

Alguns turistas optam por se hospedarem na Playa del Carmen, onde há opções de hotéis pequenos e charmosos, próximos ao centrinho e à badalada Quinta Avenida. Há tarifas entre 200 e 400 reais nos hotéis locais.

Passeios imperdíveis:

Parque ecológico Xcaret: a 80 km de Cancún, é uma das grandes atrações da região e um passeio para aproveitar por um dia inteiro. As atividades envolvem natureza e cultura, enseadas, mergulho, muitos animais e apresentações artísticas. Vale a pena dar uma volta com snorkel, um equipamento simples de mergulho, pelo rio subterrâneo. Ingressos antecipados são vendidos com desconto pela internet (a entrada comum custa aproximadamente 89 dólares).

Sítio arqueológico de Tulúm: Localizado a 125 km de Cancún, é possível conhecer um pouco sobre a civilização maia, junto ao mar do Caribe . A visitação tem início às 8h. Quanto mais cedo chegar, melhor para visitar outros locais. O estacionamento custa 50 pesos, aproximadamente R$ 10. Há linhas de ônibus que saem da rodoviária de Cancún para Tulúm. Ao chegar ao sítio, as pessoas seguem a pé ou com um trenzinho, ao custo de 20 MXN por pessoa pela ida e volta. O valor do guia custa a partir de 624 pesos mexicanos. O ingresso para a zona arqueológica custa 64 MXN, aproximadamente 13 reais. A visitação acontece das 8h às 17h.

Lua-de-mel-Cancun3

Parque natural Xel-Há: Localizado a 20 km de Tulúm. Oferece atividades ligadas à natureza, como mergulho e trilhas. Há no local, um grande rio e uma enseada junto ao mar. Você poderá visitar viveiros de borboletas e leões marinhos, além de um tanque de golfinhos. É mais natural do que o Xcaret. Vende ingresso antecipado pela internet com desconto (custo de aproximadamente 124 dólares, com transporte incluso).

Lua-de-mel-Cancun4

Praia de Akumal: Localizada a 10 km do parque Xel-Há, é possível que a praia finalize um roteiro com Tulúm e o parque. Você poderá aproveitar o mar tranquilo e um nado com as tartarugas, bem perto da faixa de areia.

Lua-de-mel-Cancun5

Cozumel: É uma ilha muito frequentada por quem visita Cancún, localizada a 60 km ao sul do balneário, na costa de Riviera Maya. As pessoas chegam de navios de cruzeiro, ferry ou avião. Sim, há um aeroporto local. O ferry sai do porto de Playa del Carmen de hora em hora e leva cerca de 45 minutos para chegar. O lugar é paradisíaco, as praias são lindas e desertas. (Veja também: Lua de mel na Riviera Maya)

O valor para fazer a travessia é de 280 MXN, pela ida e volta, aproximadamente R$ 40. Na ilha, há algumas atrações interessantes, como o Farol Celarain (entrada por US$ 10), onde é possível conhecer um pouco da fauna e da flora locais, o sítio arqueológico San Gervasio (entrada por US$ 7) e o museu da ilha (entrada franca), com salas temáticas de geografia, arrecifes e período pré-hispânico e moderno.

Lua-de-mel-Cancun6

Sítio arqueológico de Chichén Itzá: é considerado como a capital maia, planeje um passeio para ocupar um dia inteiro, devido à distância de Cancún, cerca de 200 km. Se alugar um carro, é fundamental sair do balneário com o tanque cheio, porque há um trecho de quase 100 km sem posto algum. A Carretera 180, estrada que leva ao sítio, é bastante plana e quase sem curvas. Uma das grandes atrações locais é a famosa pirâmide, conhecida como “o Templo de Kukulcan” ou “El Castillo”. A visitação é aberta das 8h às 17h. O ingresso custa cerca de 220 pesos mexicanos por pessoa.

Nos parques só é permitido utilizar protetores solares biodegradáveis. Portanto, eles vendem nas próprias lojinhas, já que muitos turistas não levam o produto.

Lua-de-mel-Cancun7

Vida noturna:

A balada mais famosa é a CocoBongo, que tem capacidade para 1.800 pessoas e fica localizada na zona hoteleira. Diferente das boates tradicionais, ela tem diversas atrações artísticas e tecnológicas. A entrada custa entre 70 e 145 dólares. A Mandala também é bastante conhecida pelos turistas.

Lua-de-mel-Cancun8

Há duas casas, uma mais tradicional de balada e outra com uma grande festa, com piscinas e o mar ao fundo, bebida liberada e diversas atrações. Vale a pena também conhecer as boates da Playa del Carmen. Aproveite para experimentar as tequilas e o Mezcal, produzida a partir do sumo do Agave, bebida destilada que faz grande sucesso em Cancún.

Fique atento à dica: nos bares e restaurantes, o costume local é pagar 15% do valor do prato como gorjeta ao garçom.

Presentes:

Se quiser levar lembranças aos familiares e amigos sem gastar muito, vá ao Walmart ou aproveite o passeio pelo sítio arqueológico de Chichén Itzá, onde há muitos artesanatos numa feirinha.

O Mercado 28 é um local para encontrar presentes não tão caros. Você pode comprar cartões-postais, joias, quadros, couro e artesanatos. No local, você encontra ótimas opções de restaurantes especializados em frutos do mar também.

O Isla Shopping Village é semelhante a um shopping clássico, mas tem a inovação de um shopping ao ar livre. Possui mais de 150 lojas, restaurantes e sua maior atração é o Interactive  Aquarium.

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *