Aborto retido: O dia que perdi meu bebê (diário atualizado)

Agosto/2016

Faltavam apenas 3 semanas para eu oficializar a novidade para boa parte da minha família e para vocês aqui no blog. Sim, eu estava grávida. Tudo conforme os planos, afinal de contas vocês já devem ter notado que há tempos eu tenho publicado cada vez mais notícias sobre gestação, bebês e crianças.

A notícia foi recebida com muita alegria pelos “avós” e pelas pessoas mais próximas, até porque esse tipo de alegria é super difícil de esconder até a 12° semana, para TODAS as pessoas.

Foi uma fase ótima, super positiva, cheia de gente torcendo por nós, fazendo apostas do tipo “será que é menina? Será que é menino?

E assim eu e o Gabe fomos vivendo a nossa gravidez super felizes. Não víamos a hora de escutar o coraçãozinho na ecografia agendada para dia 18-07-2016.

Foi aí que o chão nos foi tirado. Percebi que o menino da ecografia fazia perguntas demais e medições de menos. Ele nos tratava com naturalidade, mas alguma coisa no comportamento dele estava nos deixando muito inquietos. Fiquei tão preocupada que entrei em estado de choque e não consegui prestar atenção em mais nada, até que tudo fosse esclarecido.

Aquela angustia foi se estendendo por minutos infinitos, até que a tela da ecografia em que a checagem dos batimentos cardíacos só mostrava uma linha reta e um silêncio sem vida…

Eu só consegui assimilar o que estava acontecendo depois que ele nos disse “Eu sinto muito”.

Saí do laboratório com mil perguntas na cabeça. Será que eu fiz alguma coisa errada? Será que tenho algum problema? Fiquei inundada por um sentimento de tristeza tão profundo que nem consigo explicar. Como pode a perda de um embrião do tamanho de uma cereja ser tão dolorida assim?

Foi a pior segunda feira das nossas vidas. Choramos o dia todo e nos entregamos ao nosso luto. Por sorte temos uma família e amigos maravilhosos que nos deram muito apoio.

Com o passar do dia comecei a digerir melhor o que aconteceu e lembrei de algumas coisas da ecografia. O embrião teve um problema cromossômico e estava muito menor do que deveria estar, ou seja: Eu tive um aborto retido (quando o embrião morre e fica dentro do corpo da mãe). Para esses casos o recomendado é fazer a curetagem.

Fui para o hospital no dia seguinte mesmo e dei entrada no internamento às 8 da manhã. Queria resolver isso o quanto antes para tentar virar a página de uma vez.

O procedimento em tese é completamente indolor porque é feito com sedativo e anestesia, mas para isso é preciso ter pelo menos 8 horas de jejum e dilatação (o que significa muita “cólica”). Já a recuperação exige 5 dias de repouso absoluto.

Depois que saí do procedimento, conversei com outras mulheres na maternidade, e foi aí que a força feminina fez toda diferença pra mim. Todas já haviam passado por isso.

Isso mudou um pouco a minha forma de ver as coisas. Me apeguei ao fato de que o aborto é um processo natural que acontece com pelo menos 30% das mulheres que engravidam pela primeira vez. Ou seja, não é problema de saúde, não foi alguma coisa errada que eu fiz. É somente a natureza fazendo o papel dela, por mais duro que isso seja. A vida é complicada, ela precisa de um conjunto de fatores para acontecer, e nem sempre ela se completa.

Então, bola pra frente, e…

(atualizando o post em 10/fevereiro/2017)

eis que engravido novamente! Em novembro! … Mas agora a notícia já nem nos trouxe a mesma empolgação de antes. Agimos da forma mais racional do mundo, sem expressar qualquer empolgação. Marquei consulta, fiz 2 betas seguidos  (exames de sangue para detectar a gestação) para acompanhar a evolução e tudo indicava que desta vez a gravidez ia pra frente.

Com medo que acontecesse algo, “me dei repouso”. Parei com os exercícios físicos, nada de levantar peso, até que os exames mostrassem que estava tudo certinho. Cada dia de menstruação atrasada era uma injeção de ânimo, uma esperança que se acendia.

Passadas 5 semanas de gestação, justamente no dia 25 de dezembro, constato o que? Sangramento!

Já nem me choquei. Simplesmente tirei meu pijama, avisei o Gabe e com a maior calma do mundo, fui pra emergência na maternidade. A notícia era boa, o colo estava fechado e o sangramento não vinha do útero, então possivelmente era um descolamento do saco gestacional – que se trata com repouso e progesterona.

Passei a semana seguinte em repouso quase absoluto e o sangramento parou. Fiquei super aliviada e cheia de esperança até que dia 30 de dezembro senti um sangramento mais intenso com cólicas… Lá vou eu novamente pra emergência (pela 4° vez na semana) à uma da madrugada.

Dessa vez nem voltei pra casa, fui direto para o internamento, pois precisava fazer uma ecografia logo cedo, além do monitoramento todo. Foi difícil.. A ficha foi caindo… Queria chorar MUITO, mas fiquei me segurando. Eu iria dormir ali no hospital, sem o Gabe comigo, em pleno fim de ano. Parecia um pesadelo.

No dia seguinte a ecografia mais uma vez mostrou que a gestação não poderia ir para frente. Meu descolamento aumentou vorazmente  (mesmo tendo feito repouso e tomado progesterona) e o embrião tinha condições zero de se desenvolver naquelas condições. Resultado: Dia 31/12/2017 perdi um bebê pela segunda vez.

Agora estou envolta por médicos especialistas em gestação de alto risco, cheia de exames pra fazer, fazendo consultoria genética pra saber se tenho alguma coisa. Felizmente até o momento não descobri nada de errado. A suspeita de trombofilia para o meu alívio foi descartada com os exames. A hipótese mais provável seja apenas causas naturais. Vamos torcer para isso =)

Quero aproveitar e agradecer os comentários que vocês deixaram pra mim. Fico tão feliz com o carinho com que vocês me escrevem ^.^

Bjos,

blog_do_casamento

Obrigada por ler meu relato.
Um grande beijo,

Rubia.

Veja também

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.



29 comments on “Aborto retido: O dia que perdi meu bebê (diário atualizado)

  1. Franciele
    7 de agosto de 2016 at 4:11

    Nossa, entrei no blog para ler as dicas dos cupcakes e derrepente me peguei lendo o seu relato sobre o aborto, e nao posso deixar de parabeniza-la pela sua força. Eu ganhei bebe em março deste ano, no meu caso foi depois de muita luta e de varios pensamentos de que nao iria realizar o meu sonho. Eu tinhaa ovario policistico e um mioma de 10 cm. Qndo ja estava preparada para a cirurgia de retirada dele que poderia conprometer ate o meu utero, veio a noticia de que eu estava gravida. Nossa!!! Quanta alegria. Em março ela nasceu. Só estou contando isso para que você tenha mais certeza de que seu sonho também vai se realizar. Qndo vc menos esperar seu bebe estara ai com vc.
    Abraços.

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 15:27

      Oi Franciele.. nossa chorei lendo seu comentário. Muito obrigada pela força.. Fico feliz que sua história tenha rendido um bebê lindo. Tenho confiança de que o que aconteceu comigo foi só um episódio ruim e que logo poderei compartilhar notícias boas por aqui, assim como você =)

      Um grande beijo!

  2. Val
    8 de agosto de 2016 at 15:42

    Oie Rubia, sinto muito pela sua perda. Mês passado tbm perdi meu bebê , estava com apenas cinco semanas mas a dor da perda pra mim foi enorme. Descubri a gravidez eu ainda ia fazer duas semanas e foram as melhores semanas da minha vida, tanto amor, tantos planos… Quando perdi meu chão se abriu, hj estou melhorando mas tem dias que é difícil sabe, muitas pessoas e até mesmo os médicos não entendem o pq de tanta dor se pra eles sem batimentos cardíacos não era um bebê ainda, mas pra mim desde o meu positivo era sim. Sinta e chore o quanto precisar, só quem já viveu na pele sabe o que é passar por isso. Tenha certeza que já já Deus vai abençoar vocês com uma linda criança, tenha fé que tudo dará certo. Muita saúde, paz e amor pra vocês.

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 16:02

      Obrigada Val, estamos juntas =) Vamos confiar que a natureza e Deus sabem o que fazem. Tenho certeza que viveremos muitas alegrias ainda, e esse episódio será só um pontinho preto em uma vida plena de felicidade daqui pra frente, pra nós duas!

      Um grande beijo pra você! Vamos superar, acredite ;)

  3. Jussara
    8 de agosto de 2016 at 16:52

    Sei bem o que é isso!
    No meu caso foram gêmeos, com 19 semanas de gravidez. Era eco de rotina, eu estava sozinha e o médico tambem perguntava demais até que com muita delicadeza me deu a noticia. Faltavam 10 dias para o Natal, foi uma época mega dificil mas 9 meses depois veio a noticia de um novo bebê, eu tinha 39 anos e foi a melhor gravidez das 3 que tive. Minha filha hoje tem 17 anos, linda, inteligente e muito saudável! A gente supera, não desista de ser mãe!

  4. Maria Fernanda
    8 de agosto de 2016 at 18:03

    Rúbia eu sinto muito! Que Deus conforte muito seu coração e de seu marido! Mas fique tranquila que isso é realmente normal. É que sempre nos cobramos muito e isso acaba pesando demais. Saiba que na hora certa Deus vai mandar uma pessoinha pra crescer dentro de você e para viver ao teu lado pra sempre! Cheia de saúde e pronta pra trazer muitos sorrisos e pra preencher esse vazio. Não deixe isso te abalar, é normal e quase todas as mulheres passam por isso. Fique com Deus e não perca a sua fé! Logo logo você terá alguém pra amar incondicionalmente :)

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 18:49

      Oi Maria Fernanda.. Sabia que eu sou inscrita no seu canal? =)
      Obrigada por me escrever… Estamos aprendendo a digerir a situação pra virar a página. Não é fácil, mas acho que o pensamento positivo conta muito.

      Um grande bjo!

  5. Danielle
    8 de agosto de 2016 at 18:12

    Oi Rubia Sinto muitoooo eu tenho uma filha de 4 anos a Maria Alice depois de 4 anos engrevidei Novamente so que tive um aborto espontanio sei muitoooo bem a dor que sentio mais Deus sabe de todas as coisas… Agora cabei de descobrir que estou gravida novamente estou muitoooo feliz…
    Estou sempre conectada para ficar por dentro de tudooooo pois ainda tenho uma pouco de medo eu ainda nao fiz ultrasom estar marcada para o dia 17. So uma pergunta vc chegou a sentir dor ou algum tipo de sangramento ou algum sinal de um aborto retido!!!

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 18:45

      Oi Danielle, que notícia boa!! Se cuide muito hein! Desejo muita saúde pra você e para o bebê =)

      Eu não tive dor, mas as vezes sentia um desconforto, como um mau jeito. Tive um pequeno descolamento e um pouco de sangramento. Minha médica me pediu para tomar progesterona, mas acho que o próprio descolamento e o sangramento já eram sinais de que algo não estava certo =(

  6. Celiza
    8 de agosto de 2016 at 18:22

    Oi Rubia, comigo aconteceu a mesma coisa só estava com uma semana a mais do que você e meu bebê estava se desenvolvendo normalmente. Realmente é assim que ficamos: sem chão! Foi em novembro do ano passado mas ainda sofro lembrando de tantos planos que havia feito. Temos que nos apegar a Deus e saber que ele tem o momento certo para cada coisa. Nossa hora vai chegar e será tudo maravilhoso. Minha médica já me liberou e já estou na tentativa. Espero que você passe por isso da melhor forma possível, e se sentir vontade de chorar chore, viva a sua dor, só nos que já passamos por isso que sabemos o quanto dói. Desejo força a você e seu esposo. Um abraço

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 18:40

      Oi Celiza, está sendo muito bom pra mim poder compartilhar esse sentimento com quem também já passou por isso. Eu procuro ser positiva sempre, mas também me abalo as vezes quando penso nos planos interrompidos.. mas… como disse a minha médica mesmo… foi melhor assim… Vamos confiar em Deus…

      Tudo de bom pra você =)
      Espero que logo logo você possa voltar aqui pra me contar que seu bebezinho está a caminho \o/

  7. Danielle
    8 de agosto de 2016 at 18:53

    Já passei por isso!
    Descobri exatamente da mesma forma!!!
    Fui fazer a ultra doida pra ouvir o coraçãozinho, pois foi uma gravidez inesperada e eu não estava radiante em ser mãe. Estava ansiosa pela ultra pq todos me diziam que qd ouvisse os batimentos cairia a ficha.
    Não ouvi nada! Apenas podemos ver o saco gestacional. O que já me despertou aquele amor que chega a sufocar o peito de tão grande e diferente de qualquer outro amor na vida!
    A médica nos encheu de perguntas o que nos deixou apreensivos, mas ela não chegou a falar que havia algo errado! Deixou a entender que eu havia feito as contas erradas e estava com menos semanas do que achava.
    Nas minhas contas estava com quase três meses, portanto, tinha que ouvir os batimentos!
    Ela nos orientou a ir à minha ginecologista.
    Marquei a consulta, mas não deu tempo!
    Estava de plantão (sou Assistente Social) e comecei a ter perda de sangue no meio da noite!
    Tive que me manter firme, pois meus colegas de trabalho haviam preparado uma linda festa pq no dia seguinte seria meu aniversário.
    Chamei minha amiga que é pediatra e mostrei o sangramento. Ela mandou eu ir pro descanso fazer repouso.
    Logo cedo meu marido (na época noivo) me levou pra maternidade.
    Enfim, estava com um ematoma que exigia repouso, mas infelizmente a tarde passei muito mal com muita dor em virtude de cólica horríveis!!! Minha médica ainda tentou , mas na manhã seguinte co fimado o aborto espontâneo com uma nova ultra.
    Nos sentimos incazes de gerar uma vida. Mas minha ginecologista de anos foi super gentil e me deixou vem segura com a explicação de que perder a primeira gravidez é mais comum e/ou normal do que imaginamos.
    E outra questão que ela nensioniu é que não havia nada errado com cmg, muito pelo contrário, meu corpo/organismo estava tão perfeito e saudável que teve a capacidade de identificar o embrião com alguma anomalia e naturalmente o espulsou!

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 19:10

      Engraçado isso né Dani, a minha médica falou isso também. Hoje me sinto melhor poque porque no hospital tive muuuuuuuuuito apoio da médica e das enfermeiras que me disseram que quando o embrião não está bem, o próprio corpo trabalha para que a gravidez não prossiga. Segunda elas, é a natureza, o corpo que de forma inteligente faz a parte dele, interrompendo um ciclo que não começou certo. Eu também me culpei o dia todo quando soube, mas depois comecei a entender que eu não tinha feito nada de errado e não havia nada de errado comigo. Simplesmente aconteceu e a gente tem que aceitar.. Não dá pra remoer isso pra vida toda…

      Bjo!

  8. Danielle
    8 de agosto de 2016 at 18:54

    Desculpem os erros de digitação, pois estou no cel e não consegui concertar!

  9. Karen Dias
    8 de agosto de 2016 at 19:19

    Olá Rúbia sinto muito mesmo pela sua perda, queria lhe dizer que também passei por isso é foi muito difícil. Estava grávida de três meses e meio fui na primeira ultrassom e o médico foi super negligente e não me informou que meu bebê estava morto dentro de mim, após dois dias da ultrassom dei entrada no hospital perdendo meu bebê fiquei internada durante longos três dias e sofri muito pois perdi muito sangue, acabei ficando anêmica e fiz a curetagem de emergência tomei a anestesia rac pois estava muito debilitada e era a única solução pra me salvarem, perdi meu chão naquele instante foi tudo muito difícil achei que a culpa era minha, fiquei muito mal, e entrei em um longo tratamento contra a anemia, após um ano desse ocorrido me encontro grávida novamente com dois meses de pura alegria e estamos muito bem, após um longo tempo percebi que os planos de Deus são maiores e melhores que os nossos.
    Tenha fé que tudo tem um propósito, logo vc estará gravidinha novamente e muito feliz, estarei torcendo e orando por vc.
    Sinta-se privilegiada pois fomos escolhidas para sermos Mães de Anjo, e isso é único depois que entendemos os planos do Senhor…
    Não desista e nem desanime, Deus sabe de tudo e no momento certo sua bênção lhe será entregue novamente…
    Abraços e muita paz e saúde a vc…

    • Rubia Rocha
      8 de agosto de 2016 at 19:44

      Karen, fiquei bem sentida pelo que aconteceu com você. Mesmo tendo passado por algo parecido, não consigo imaginar o tamanho do seu sofrimento. Ainda assim fico muito feliz que você tenha superado isso e agora esteja vivendo esse momento maravilhoso. Fiquei muito emocionada com o seu comentário. Obrigada pela força. Obrigada por me escrever. Desejo a você também muita saúde pra “vocês dois/duas” ^.^

      Beijo =*

  10. Priscila
    9 de agosto de 2016 at 0:40

    Passei por isso no final de Março deste ano. Sei bem o que sentiu. No começo foi difícil me culpei bastante até quando conheci pessoas que havia passado pela mesma situação. Mas nada melhor que o tempo é o apoio do esposo e da família. Tudo de bom.

  11. Regiane
    11 de agosto de 2016 at 13:37

    Oi Rubia.
    Uma blogueira que amo de paixão, a Ariane Ferrari, também sofreu um aborto. Não consigo mensurar o que vocês sentiram, só posso desejar que tenham força e fé. Beijos!

  12. Bia Mazzaropi
    8 de setembro de 2016 at 19:54

    Oi Rubia,
    conheço você pelo canal, que sigo e amo de paixão!
    É a primeira vez que entro no blog e estou desvendando ele por inteiro!

    Quero que tenha força neste momento, mas saiba que é normal e que tambem é normal logo logo engravidar de novo e vingar! Na minha familia (a uns 3 anos isso) duas tias minhas tiveram abortos e hoje estão com meninos lindos e bagunceiros em casa (sim, as duas tiveram meninos..rss)

    Por isso tenha força e saiba que não você não fez nada de errado!

    Obrigada por toda ajuda que esta me dando com os preparativos do meu casamento!!

    • Rubia Rocha
      27 de setembro de 2016 at 18:17

      Oi Bia , eu que agradeço o carinho. Muito obrigada por me escrever! Seu comentário me deixou mais confiante de que tudo vai dar certo.
      Bjo!

  13. Mariana Campello
    14 de setembro de 2016 at 14:56

    Olá Rubia,

    Entrei no blog para ler sobre casamentos e como sou mãe fui na parte de bebês e li seu depoimento.
    Nessas horas não se tem muito o que falar, mas queria apenas lhe deixar meu abraço solidário, meu abraço de mãe para uma filha…
    Eu poderia te dizer um milhão de frases “planejadas” que todos dizem pra “tentar” consolar… mas me prendo apenas ao meu abraço sincero, viva o seu luto e leve o tempo que for necessário para isso.
    Um beijo

    • Rubia Rocha
      27 de setembro de 2016 at 18:09

      Obrigada Mariana, um abraço pra você também =*

  14. Dim
    30 de setembro de 2016 at 16:31

    Olá querida Rubia,
    por um acaso vim parar nesse blog, li o que escreveu sobre o aborto e foi tudo como ocoreu comigo. A tristeza só passou quando engravidei de novo e tive meu filho lindo, hoje com 3 anos.Deus sabe o que faz e no momento certo o melhor vai acontecer para você.um carinhoso abraço.

    • Rubia Rocha
      5 de outubro de 2016 at 17:03

      Oi Dim, é complicado mesmo né? Eu estou bem graças a Deus, mas sempre dá aquela recaída =( mesmo assim acho que essa tristeza só vai acabar quando engravidar novamente. De qualquer forma estou feliz por ter saúde e ter chances , então está tudo 10 =)

      Obrigada por me escrever, beijo!

  15. Yasmin
    14 de fevereiro de 2017 at 15:25

    O importante é que agora você está sendo cuidada e acompanhada. Desejo, de coração mesmo, o melhor para você!
    Fica em paz!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *