Coletor menstrual – conheça as vantagens

Coletor menstrual, tá aí um a palavrinha que eu nunca tinha ouvido antes. A primeira vez que li sobre o assunto, achei tudo tão bizarro que não conseguia acreditar em como o uso do coletor menstrual poderia dar certo na vida de uma pessoa.

Fiquei tão curiosa que comecei a pesquisar sobre o assunto na internet e com as amigas pra ver a opinião de quem usa.

As respostas foram unânimes:

“Eu não quero mais saber de absorvente!”

“Isso é uma beleza!”

“Super higiênico!”

“Eu não troco por nada!”

Aí aquela bizarrice toda começou a abrir os meus horizontes, por N motivos.

1° porque meu ciclo menstrual é MEGA intenso e quando vem que vem, fica até difícil de sair de casa, pois tenho que trocar o absorvente praticamente de hora em hora.

2° porque eu tenho um certo peso na consciência de produzir um lixo que demora 100 anos para se decompor e somando o meu, o seu e o nosso lixo menstrual,  pense no problema que estamos criando para o planeta.

Estima-se que a mulher faz uso de cerca de dez absorventes descartáveis em cada ciclo menstrual, e de dez 10 a 15 mil da puberdade até a menopausa. Como no Brasil não existe reciclagem para esse tipo de resíduo, esses absorventes acabam indo parar em lixões e aterros sanitários, causando um problema ambiental.

A tecnologia dos absorventes íntimos descartáveis se assemelha à das fraldas, com o uso de árvores e petróleo como matérias-primas para sua fabricação. (Fonte eCycle).

Resultado: Comprei.

O que é?

Apesar de ser sensação do momento na Europa e começar a dar o ar da graça no Brasil, o coletor foi inventado em meados da década de 30!

O coletor menstrual é um copinho de silicone dobrável e hipoalergênico (que não causa alergia/irritação) que em tempos de menstruação deve ser introduzido no canal vaginal para coletar o sangue.

Como funciona?

Por ser maleável, ele deve ser dobrado e inserido horizontalmente no canal vaginal. Não vou mentir, é necessário um certo treinamento inicial para se acostumar e pegar prática, pois seu formato é bem maior que o absorvente interno, mas fique tranquila, todos os coletores menstruais vem com manuais, além disso, existe grupos no Facebook e canais no Youtube só sobre esse assunto, para te ajudar a entender melhor a coisa toda. (veja – tipos de dobra)

Após inserido ele irá se desdobrar e ficar no seu tamanho original, criando uma espécie de vácuo. Assim o sangue descerá para o copinho, eliminando aqueles problemas de sujeira e odor que a menstruação causa quando usamos absorventes de algodão – por isso ele é mais higiênico.

O sangue coletado é bem líquido e a sensação de menstruar rios não acontece com o coletor. Isso porque quando usamos absorvente descartável, o sangue tende a se espalhar muito e quando entra em contato com o ar começa a escurecer,  criar odor e até irritação em algumas mulheres.

Todos os coletores vem com um cabinho, para ajudar na remoção, porém é importante ler as instruções do manual, pois para tirá-lo é preciso apertar um pouquinho nas laterias para eliminar o vácuo – até porque é isso que o deixa bem firme e seguro inclusive para fazer academia e atividades esportivas.

E a higienização, como é?

A dúvida mais comum entre as mulheres é como esvaziá-lo no trabalho, por exemplo.

A recomendação é que o coletor não ultrapasse 12 horas de uso (sem fazer a coleta). Por isso, se o ir e voltar do trabalho for menor que isso e seu fluxo não for intenso, você nem precisará mexer nele durante esse período. O ideal, segundo os fabricantes é que você faça a coleta e recoloque o coletor durante o banho.

Sabemos que nem sempre é possível fazer esse processo todo no chuveiro, e como trabalho em casa, resolvi pesquisar como as mulheres fazem no trabalho, na academia e até no shopping.

Primeiramente você pode ir ao banheiro e remover o coletor, esvaziando-o no vaso sanitário. Se o local tiver pia, você pode lavá-lo e inseri-lo novamente.

Se não tiver, poderá usar o próprio papel higiênico para fazer a limpeza. Tem quem ande com um mini-borrifador de água na bolsa nesse período, tem quem ande com uma garrafinha de água, tem que use apenas o papel higiênico.

O importante é não usar produtos químicos na higienização do coletor e também estar com as mãos bem limpas – aqui a dica e carregar um álcool gel na bolsa para higienizar as mãos caso você não tenha pia ao alcance. Depois dessas trocas de emergência e só caprichar na higienização na próxima, durante o banho.

Terminado o ciclo menstrual, é recomendável que você ferva por três minutos seu coletor em uma panelinha de ágata (atóxica) ou em um potinho plástico reservado somente para isso, no microondas. Feita a higienização, é só guardar no saquinho que vem com ele e esperar o próximo ciclo.

Na compra do meu coletor, aproveitei uma promoção e ganhei uma panelinha plástica para usar no microondas, mas tem que diga que um simples potinho plástico ou de vidro já resolva a vida – lembrando que ele deve ser de uso exclusivo, obvio… Se você mora com mais gente em casa, sinalize de cabo a rabo, retire da cozinha e avise todo mundo que ele não é de uso culinário.

1, 2, 3, Testando…

Confesso que meu teste piloto foi bem tenso. Não consegui instalar o coletor no primeiro dia. Fiquei frustrada, mas não desisti. No dia seguinte na hora do banho lá fui eu tentar novamente. Quando consegui, fiquei aliviada e super feliz, notei que o coletor se adapta ao corpo e parece que você está livre, leve e solta – não atrapalha, não incomoda, é super mais confortável que o absorvente interno, achei.

* Dica: Se doer é porque você não está colocando certo.

Depois de testar e ficar maravilhada com tamanho conforto, era hora de tirar. Aí descobri duas coisas de uma vez só: 1° – o poder do vácuo do coletor e 2° – que meu colo é alto, ou seja, o coletor fica bem mais pra dentro – e o cabinho também. Nessa hora comecei a suar frio e fui me preparando psicologicamente pra possibilidade de ter que ir pro hospital fazer a remoção hahaha.

Depois do meu colapso de desespero, resolvi respirar, me acalmar e pensei comigo: O coletor não tem mais pra onde ir, ele não vai subir pro seu pulmão Rubia, fique tranquila. Aos poucos fui retomando a calma e comecei a puxar bem devagar, removendo o vácuo da lateral do copinho e ele foi descendo até que pluf* – saiu…

Tem mulheres que tem o colo mais baixo, e por isso o copinho fica com o cabinho todo pra fora, o que pode ser desconfortável. Neste caso é possível cortar o cabinho, ou então usá-lo do avesso.

Durante a menstruação, a tendência é que o colo baixe um pouco, por isso, se você testar o coletor menstrual sem estar em um ciclo, ele pode subir bem mais que no período menstrual.

Depois do meu teste inicial, esperei a menstruação chegar para ver como é essa praticidade que todo mundo diz. E novamente afirmo: Não é fácil no começo. Até você pegar o jeito de inserir, tirar, esvaziar o copinho de um jeito prático, precisei de uns 3 dias para me adaptar bem. Até porque eu ainda tinha medo do coletor subir para o meu pulmão hahahaha

As minhas considerações são as seguintes:

1-  Você tem que insistir, porque as vezes pode levar mais de 5 minutos pra você conseguir “instalar a coisa” do jeito certo. Nessas horas você pensa 1000 vezes em largar tudo e correr para o absorvente comum. Levei 2 dias para me adaptar.

2 – Tirar o copinho também requer prática, mas isso eu aprendi mais rápido. Se você tiver o colo alto, pra ficar confortável, o coletor terá que ficar mais profundo, ou seja, o cabinho quase sai do seu alcance. Pra ele descer é só fazer uma forcinha e aí aos poucos o cabinho vai ficando mais aparente e mais fácil de puxar. (Vale lembrar que o profundo aqui é bem menos que o absorvente interno).

3 – Suja a mão. E não teria como não sujar. Mesmo assim é o único contato que você terá com o sangue. Ao contrário do absorvente comum, cujo o sangue fica em contato com a sua pele o tempo topo.

4 – Achei mais fácil inserir e remover o coletor no banheiro do que no chuveiro.

5 – Use absorvente das primeiras vezes (nos primeiros dias), pois a chance de você colocar errado ou ele ficar dobrado sem você perceber, é bem alta. Além disso, enquanto ele ficar limpinho, significa que o copinho não está cheio ou vazando. É uma espécie de alarme pra você saber quando deverá ir ao banheiro para esvaziá-lo. Eu acabei inaugurando o coletor logo após ter feito uma curetagem , então sabia que o ciclo seria monstruoso, por isso precisei usar o absorvente pra me orientar pois o coletor enchia em menos de 4 horas.

6 – Antes de inaugurar no trabalho, recomendo que você utilize o coletor antes em casa. Coloque à noite, retire pela manhã, use nos fins de semana, ou durante passeios curtos, onde você possa voltar para casa para esvaziar o copinho. Depois que você pegar prática, terá a confiança necessária para usá-lo a qualquer momento, com trocas em qualquer banheiro.

7 – Acostuma rápido. Nos primeiros dois dias, eu ainda achava bizarro trocar o absorvente por um copinho. Pensava comigo: Gente.. que coisa mais esquisita isso!
Depois de pegar prática, comecei a só enxergar as vantagens no uso do coletor. Realmente é mais higiênico. Aquela sujeira toda fica retira no copinho e quando você vai ao banheiro, não tem contato nenhum com o sangue da menstruação, ou seja, é como se você nem estivesse menstruada.

8 – Não sei se isso é psicológico ou não, mas meu ciclo geralmente é de 5 dias e com o uso do copinho, caiu para três. Não existe nenhuma indicação que ele reduza o ciclo, mas comigo aconteceu, sabe-se lá porque. Ponto pra mim que ficava sofrendo quase uma semana até o ciclo acabar \o/ #medeibem

Que modelo usar ?

Descobri que antes de comprar o coletor, é preciso saber mais sobre o seu corpo. Existem muitos formatos de coletores e felizmente temos ótimas marcas brasileiras (tem colorido, tem estampadinho, tem com cabinho argola, com pétalas nas extremidades, e por aí vai).

Eu acabei levando uma baita sorte na hora de escolher o meu, pois como tenho o colo do útero alto, o copinho precisa ser mais alto também. Descobri isso só depois de ter comprado e acertei na mosca o modelo (sem saber).

Você só vai saber o tamanho do seu colo testando… Para isso você terá que fazer aquele famoso exame de toque para saber a profundidade do seu.

Vamos de regrinha básica: 

Quanto tempo dura?

A boa notícia é que ele é reutilizável =) Ou seja, menos lixo produzido e menos $$ gasto com absorvente.
Um coletor menstrual dura de 3 a 10 anos, dependendo do fabricante. Com o tempo ele vai ficando amarelado e perdendo a capacidade de vácuo, neste caso é melhor trocar.

Vale lembrar que se o coletor é novo e está vazando, é porque não está colocado corretamente, ou seja, o copinho pode não estar dobradinho em algum lugar, causando o vazamento. Para saber se o coletor está certinho, ele fará um barulhinho de vácuo, mas você também pode conferir com os dedos.

Quanto Custa?

O coletor menstrual custa em média de R$ 50,00 a R$ 80,00. Depende do fabricante. Parece muito, mas se você fizer as contas do quanto economizará com absorventes, verá que é um bom negócio, sem contar com a sensação de limpeza e a quantidade de lixo que você deixará de produzir.

Onde comprar?

Quando comprei o meu, percebi que ainda é difícil de encontrar o coletor menstrual em farmácias. Mesmo assim você pode facilmente comprá-lo pela internet. Os próprios fabricantes possuem lojinhas virtuais cheias de promoções do tipo compre um leve 2. Compre 2 e ganha uma panelinha, e por aí vai. Pra quem quiser saber sobre o meu, comprei direto no site da Lumma – que sempre tem promoções de kits bem legais.

Alguma contraindicação?

Por ser de material atóxico, não existe riscos de infecção e proliferação de bactérias com o uso do coletor. Alguns estudos sugerem inclusive a diminuição da candidíase em mulheres que aderiram ao uso além de uma leve diminuição do fluxo menstrual.

Não é aconselhável a utilização do coletor por mulheres que nunca tiveram relações sexuais, pois o hímen pode se romper. Além disso mulheres que acabaram de dar à luz devem evitar o coletor nos primeiros dias. Na dúvida é melhor consultar um médico em uma dessas hipóteses.

Aqui vai uma informação específica que não encontrei em lugar nenhum: Também não tem contraindicação para mulheres que fizeram curetagem (perderam bebê). Tanto o fabricante quanto os médicos dizem não ver problemas no uso.

Ufa! Textão né? Espero ter esclarecido todas as suas dúvidas quanto ao uso do coletor menstrual.

Veja também

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.



4 comments on “Coletor menstrual – conheça as vantagens

  1. Rafaela Teles
    5 de fevereiro de 2017 at 23:58

    Que venha logo para o Brasil.

    • Rubia Rocha
      8 de fevereiro de 2017 at 14:03

      Já está no Brasil Rafaela =)
      Tem muitas marcas brasileiras de coletor disponíveis no mercado. No final do post indiquei inclusive o site de onde comprei o meu =)

  2. Kelly
    20 de março de 2017 at 15:25

    Oi Rubia, amanhã provavelmente farei uma curetagem, pois minha gravidez não evoluiu, li em outro post seu que passou por algo parecido, tinha dúvida se poderia usar o coletor após o procedimento e encontrei esse seu relato que me ajudou muito, já que não há nada há respeito na internet.
    Espero que consiga ter seu baby num futuro próximo.
    Bjs.

    • Rubia Rocha
      28 de março de 2017 at 15:54

      Kelly, eu usei o coletor no meu primeiro ciclo após a curetagem. Ele é bem intenso, por isso você terá que conferir várias vezes ao dia, mas tudo correu bem.
      Obrigada por me escrever, boa sorte pra você também. Grande beijo!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *