Convite individual, fazer ou não fazer ?

Vamos começar a semana bom um baita assunto polêmico para discutir… O tal do convitinho individual.

O que é ?

São aqueles micro cartõezinhos que entregamos junto com o convite de casamento. Nele geralmente escrevemos assim:

Convite individual + nome dos noivos + data + “É indispensável a apresentação deste”.

Em alguns casos, os noivos fazem o convite principal somente com as informações da cerimônia e entregam o convite individual com os dados da festa somente para parte dos convidados, logo, o local da festa e o endereço também são colocados no minicard do convite individual. Assim, quem ganha somente o convite principal nem sonha que terá uma recepção (jantar, brunch ou almoço) depois da celebração. Eu particularmente não acho essa estratégia a mais indicada, penso que é melhor fazer uma recepção mais simples e chamar todo mundo para celebrar que convidar somente alguns para a festa e depois ter que se explicar para os que não foram convidados para a comemoração.

Na recepção da festa geralmente existe algum controle como uma relação de convidados em Excel, onde a cerimonial é quem faz a checagem das pessoas e coleta dos convites individuais na entrada do local. O sistema é bem simples: Não tem convite individual, não entra na festa, e ponto final.

convite_individual

Para que serve?

Para evitar os indesejáveis “penetras” e também controlar rigorosamente o número de lugares e “pagantes” do buffet contratado. O convite individual é uma forma “curta e grossa” de dizer que você está convidando somente esse, esse e aquele ali da família.

Fazer ou não fazer?

Sinceramente? Eu não gosto da ideia. Se você vai fazer uma festa para muitos convidados, terá que encarar o fato de que algumas pessoas aparecerão na sua festa “de surpresa”. É o lado ruim de ter uma lista grande. Se esse é um baita problema que você fatalmente terá que encarar, reveja a possibilidade de fazer um mini wedding.

Pense que muitos convidados JAMAIS iriam a uma festa sozinhos, e por isso é inevitável que alguns perguntem se podem levar algum acompanhante. Na hora de fazer a sua lista, isso já pode ser previsto.

A pergunta que não quer calar! COMO FAZER PARA CONTROLAR OS INDESEJÁVEIS SEM O CONVITE INDIVIDUAL?

Com confirmação de presença, oras. Geralmente a nossa querida cerimonial já inclui no pacote este serviço. Como  ela é uma pessoa de fora, na hora de fazer uma confirmação de presença pelo telefone e o sujeito perguntar se pode levar o bairro todo, ela não fará cerimônia para dizer que só poderá confirmar a presença de tal, tal e tal convidado da lista.

Uma segunda forma de convidar explicitamente é colocando na tag do convidado dos convites de casamento os nomes de todos os convidados daquela família.

Vou exemplificar: Se você colocar na tag : Tio João e família (e o Tio João for sem noção) ele poderá levar para a festa os cachorros, o papagaio, o primo de 8° grau, o enteado, o namorado da filha e por aí vai.

Agora se você colocar: Tio João , Tia Maria e Fernandinha (a filha deles). Já ficará explícito que somente os três foram convidados.

Você não precisa fazer isso com todos os convidados. Essa “estratégia” pode ser aplicada somente para os casos em que você sabe que vão te incomodar. Eu por exemplo, fiz isso apenas em 2 dos meus 80 convites de casamento.

Uma terceira forma de fazer isso é sendo direto e sincero. Se você não puder abrir uma exceção, explique que a sua lista está fechada, os lugares já estão contados e o buffet já está acertado para um número x de convidados.

Se a situação ficar meio desconfortável, use a tática número 2:  Diga que você irá checar com a sua cerimonial se houve alguma desistência para fazer um “encaixe’. Assim você não precisará responder na hora e se algum convidado não puder comparecer, algumas exceções poderão ser feitas.

Tem vídeo sobre o assunto no canal do Blog, que é na verdade um resumo do que já escrevi aqui, mas fica a fica para quem quiser assitir ;)

Assista: Convite individual, fazer ou não fazer ?

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *