Diário de gravidez: O segundo trimestre de gestação

É muito engraçado como o “relógio biológico” trabalha certinho com o calendário. Na última semana do primeiro trimestre, todos aqueles sintomas de azia, tontura, falta de apetite e afins foram dia a dia melhorando um pouquinho, até que cheguei ao 2° trimestre.

Período de bem estar

Pra mim funcionou exatamente como todos dizem. É uma fase que trás alívio, uma sensação de bem estar. A gente se sente mais bonita, a barriguinha começa a apontar e isso nos deixa em um estado de graça muito legal. Até porque toda aquela pressão de que você pode perder o bebê no primeiro trimestre dá espaço para uma sensação de “missão cumprida” ou “o pior já passou, agora é só alegria”.

Saí do “regime fechado”, pude sair de casa, visitar as pessoas, ir ao mercado, jantar fora, passear no Shopping, tudo com muita moderação, mas pra mim já estava de bom tamanho. Me permiti também pensar mais nos bebês, conversar com eles, porque agora o médico já estava totalmente confiante de que eles estavam fortes e saudáveis.

Alimentação

Aos pouquinhos fui retomando também o meu apetite e consequentemente passei a ter mais fome que o normal… Claro que isso me gerou algumas consequências né, tudo que não comi e não engordei no primeiro trimestre, eu consegui no segundo, a ponto de levar até uma puxada de orelha do médico. Engordei quase 10 kilos!  Gente, a fome que dá não é coisa de Deus… Sabe assim saco sem fundo? É exatamente essa expressão que resume a fome de uma gestante.

Além da fome, eu que nunca fui de doce, passei a ter uma vontade desesperada de comer qualquer coisa açucarada depois das refeições, e desenvolvi também uma certa obsessão por suco de laranja. Já essas vontades de comer coisas esquisitas, eu não tive. Minha vontade ficou bem genérica mesmo, por comida de uma forma geral, o que vinha eu comia hahahaha

Mudanças no corpo e no guarda roupa

É nesse período também que as calças começam a não fechar mais, as blusinhas perdem o “caimento”, tudo fica mais apertadinho. A minha sorte é que eu adoro roupas mais larguinhas, então não precisei mudar muito meu guarda roupa, mas se tratando de calças, calcinhas e sutiãs, esse departamento aí precisou de um certo investimento.

Um truque que usei MUUUITO quando comecei a ficar barrigudinha foi esse do elástico nas calças com botões. Quando a barriga ainda é pequena funciona muito bem. Fica a dica para quem não quer investir em roupas de gestante logo de cara.

Os chutinhos

Além disso você já consegue perceber os chutinhos do bebê. Lembro muito bem como foi o primeiro. Estava dormindo com a mão na barriga quando de repente senti um cutucão bem onde estava com a mão. Acordei na hora meio assustada, e logo percebi que aquele tinha sido o primeiro chutinho oficial. Como a gente fica boba nessas horas rsrsrsrs

O segundo trimestre também é marcado por uma ecografia super completa chamada de Ultrassom Morfológico. Não vou mentir, dá um nervosinho antes de fazer, porque através dele é possível detectar vários problemas que o bebê possa ter.

O ultrassom morfológico é uma variação do ultrassom convencional. Ele é normalmente feito entre a 11ª e 14ª semana ou 20ª e 24ª semana da gravidez. Nestas épocas pode-se ver o feto ainda por inteiro dentro do útero e com maior facilidade do que nas semanas posteriores, e com mais clareza do que nas semanas anteriores. A ultrassonografia morfológica ainda mostra com detalhes todos os órgãos internos do bebê, evidenciando se há algum problema ou se o desenvolvimento do bebê está indo bem.

Descobrindo o sexo dos bebês

Com 14 semanas, lá fui eu ter um pequeno sinal de sangramento que me deixou apavorada. Não sabia nem como contar para o Gabriel, tinha certeza que ele ficaria desesperado. O engraçado é que mesmo com medo, parece que vem uma força de onde você menos espera que te ajuda a manter o controle da situação. Ligamos para o médico que nos pediu para ir para a emergência investigar.

Era um domingo, calmo e sem trânsito, então chegamos na maternidade bem rapidinho e fomos atendido pelo médico de plantão que me examinou. Felizmente aquele sangramento não tinha nenhuma ligação com o útero. Mesmo assim ele me pediu pra fazer uma ecografia para ter certeza.

Segunda feira cedinho lá fomos nós para a maternidade novamente fazer a ecografia. Depois de um tempo a médica me perguntou se eu sabia o sexo dos bebês. Eu olhei para o Gabriel e respondemos que não. Ela disse : Vocês querem saber? 

Gente! Eu achando que tinha que esperar um mês ainda pra saber, e ela me vem com essa… Assim na lata! Sem nem eu ter comido o tal do chocolatinho. Obviamente dissemos que sim, e ela então nos contou que eram dois meninos.

Aí o Gabriel chorou (como ele faz sempre nas ecos =P ) e eu fiquei super animada. Sempre me achei mãe de guri. Saí de lá imaginando o futuro, eu com dois pimpolhos meninos, me chamando de mãe.. Ah, é muito amor ♥

Planejamento do quartinho e chá de bebê

O segundo trimestre também é perfeito para resolver determinadas coisas que você não tem vontade alguma de ver quando está naquela lamúria dos enjoos e indisposição do início da gravidez. É a época perfeita para bater perna, pesquisar inspirações para o quartinho e também pensar no chá de bebê, e foi exatamente isso que eu fiz.

O chá de bebê teve o meu foco principal, até porque quando a gestação é gemelar, o ideal é que se faça lá pelos 6 meses, que é o período em que a gestante não se cansa tanto, e a barriga ainda não está muito pesada.

Já os projetos do quartinho nós executamos depois do chá. Isso tem uma justificativa bem prática. Como moramos em apartamento, nossa ideia era otimizar ao máximo o espaço para não encher a casa de “tranqueirinhas”, por isso esperamos o chá para contabilizar as fraldas e os presentinhos e doações, para ter uma noção de tudo que precisaria ser acomodado no quarto e no restante da casa.

Sintomas do 3° trimestre chegando.

Lá pela 20° semana eu comecei a me sentir mais pesada. Minha barriga foi crescendo semana a semana e já perdi muito da minha mobilidade para me abaixar e até para dormir. Além disso comecei a ter dores nas costas (que segundo meu médico são musculares por conta da minha estrutura que está mudando). Não saio de casa sem uma almofadinha e minha bolsa térmica.

Parece um exagero né? Mas se essa dor se prolonga por mais de 15 minutos eu começo a ficar muito cansada, parece que minha pressão vai cair e eu vou desmaiar. Por isso já não consigo sentar em qualquer cadeira, e ir a qualquer lugar. Se não tiver um sofázinho ou uma poltroninha, a Rubia aqui não aguenta o tranco.

Creio que o terceiro trimestre será cheio de desafios pela frente, massss.. vamos lá!

E para vocês que pediram foto da minha barriga, lá vai o auto ensaio que fiz com 20 semanas =)

Fotos: Gabriel Roloff

 

Veja também

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.



Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *