diario de gravidez - relato de parto - gemeos

Diário de gravidez: relato de parto

Bem que dizem que o dia do parto é inesquecível… Várias coisas passaram pela minha cabeça.. Primeiro, minha vida de Rubia filha e esposa a partir daquele dia seria dividida com a Rubia mãe. Além disso é bobo mas eu olhava praquele barrigão meio sem acreditar que nesse dia sairiam dois bebezinhos dali. Finalmente iríamos nos conhecer, ver os rostinhos pela primeira vez.

Eu optei pela cesária agendada. Decisão baseada nas minhas condições como gestante e meus medos. Sim, tive medo do parto normal, não estava preparada fisicamente e achei que não pudesse conseguir, confesso. Eu sei que hoje existe um certo ativismo em cima do parto normal, sei das suas vantagens, sei de tudo isso… Mas eu acho que isso é uma decisão tão pessoal, que não cabe julgamento de ninguém.

Então decidimos agendar para dia 27/08/2018 às 18 horas. Uma espera de 38 semanas + 5 dias. Como não é raro bebês gêmeos nascerem prematuros, perguntei para meu médico se seria mesmo possível segurar a gestação todo esse tempo, e ele me disse que dependia muito de mim. Por isso depois das 34 semanas eu me recolhi novamente para aquela vida de repouso. Até porque não tive muita escolha, meu barrigão estava tão grande e pesado que minhas costas já não suportavam mais o peso. Andar pra mim era um desafio!

Fotos clicadas um dia antes do nascimento (26-08-2018)

Eu que sempre tive medo de partos e cirurgias de um modo geral, segui tranquila até o último dia, o que me deixou bem abismada com tamanho auto controle. Massssss na hora que entrei no centro cirúrgico e vi aquele monte de gente se preparando para a minha cesária (porque a equipe médica tem o dobro de pessoas quanto o parto é gemelar), comecei a ficar nervosa. Acho que foi só aí que realmente caiu minha ficha de que tudo aquilo era real e estava mesmo acontecendo…

Foi tudo muito rápido, estava eu na minha vibe da anestesia quando de repente escutei o chorinho afogado do Tomás… Gente, que sensação mais louca… Dois minutos depois lá veio o Vicente dar o ar da sua graça. Vi eles rapidinho e logo eles seguiram seu rumo com as pediatras.

Esse momento a gente fica meio perdida, porque não eu ainda não sabia se eles estavam bem, se estavam saudáveis e se eles voltariam pra mim. É meio injusto essa hora né? Você ali carregando as criaturas por 9 meses, uma das maiores interessadas em ver, pegar e apertar eles…  e a que menos tem acesso depois que eles nascem =(

Felizmente alguns minutinhos depois eles voltaram e ficaram comigo mais um pouquinho, pra gente se conhecer melhor. Lembro que o Gabriel colocou eles do ladinho do meu rosto e o Tomás deu um espirrinho na minha bochecha. Me derreti hehehehehe. Aí olhei para o outro lado e lá estava o Vicente olhando pra mim e encostando seu rostinho no meu… Ah gente… que sensação gostosa… Tá aí um momento da vida que quero congelar pra sempre na minha memória.

Depois que saí do pós parto, fui para o quarto com a minha ninhadinha entre as pernas… Esse foi outro momento “sensação delícia”, poder carregar minhas crias comigo… Quando cheguei no quarto, estava o Gabriel, a Bruna (nossa amiga fotógrafa que clica a gente nas fotos que postamos no instagram) e a madrinha deles esperando por nós.. Aí lembro que cada uma pegou um no colo e eu fui indo pra Narnia por causa da sedação ou anestesia sei lá.. Ou seja eles nasceram e até o dia seguinte eu mal consegui apreciar meus filhotinhos. Dormi como uma pedra, estava com as pernas imóveis, então tudo ficou nas costas do Gabriel.

Inclusive essa é uma dica que eu dou pra você querida leitora.. prepare seu marido pra pelejar na maternidade heheheh. Mesmo que você tenha um parto normal, você ficará tão cansada e anestesiada, que não terá força para nada (literalmente). Seu marido terá que tomar as rédeas da coisa toda. Levar para o pediatra, registrar no cartório, trocar as fraldas, levar para o banho, levantar de hora em hora para ver porque eles estão fazendo qualquer que seja o barulho, e alcançar seu bebê pra você quando quiserem mamar.

No dia seguinte, o efeito na anestesia tinha passado e eu pude levantar para tomar banho. Tomei um banho maravilhoso longo e quentinho (só que não) hehehehe. Como fiquei muito tempo deitada e não tinha feito uma refeição “decente” depois do parto, minha pressão baixou muito, quase desmaiei  e tive que voltar para a cama carregada pelo Gabe e pela enfermeira, com um banho pela metade.

Fui melhorar somente depois do almoço, mas fiquei meio traumatizada pra levantar da cama, com medo de desmaiar e porque a sensação da barriga vazia é muito ruim! Parece que tudo está solto dentro de você. ( Daí a importância de usar a cinta pós parto). Só consegui levantar quando ela ( a cinta) me entrou no dia seguinte, mas isso é uma outra história para outro post.

Até sair da maternidade eu não consegui aproveitar em nada meus filhos. Finalmente dia  29-08-2018 nós três ganhamos alta e pudemos ir pra casa, curtir nosso puerpério (que é post para outro dia também).

 

Veja também

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.



Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *