O meu vestido de noiva

Sempre haverá uma opinião diferente da minha, mas gostaria de argumentar sobre a minha saga em busca do meu vestido de noiva (que nem foi tão saga assim). Antes de mim, várias amigas minhas casaram, e por isso pude acompanhar as etapas dos casamentos.

Como tinha uma verba bem limitada para a minha festa de casamento, precisei pesquisar muito antes de dar qualquer passo, e o aluguel do vestido era uma das barreiras que tinha que enfrentar. Um dia, vi na televisão o comercial de uma loja que estava colocando  seus vestidos a venda, e assim… sem muito a esperar resolvi ir até lá com a minha mãe. Quando cheguei lá, experimentei um vestido que me fez emburrecer de amor, e não consegui mais aceitar nenhum outro que não fosse ele.

É bem como se fala,  que é o vestido que te escolhe. O fato é que antes de ir nessa loja, eu tinha pensado em mandar fazer o meu vestido em uma costureira, mas vendo aquele que me apaixonei, resolvi comprá-lo porque teria garantias de que ele seria o melhor e mais bonito para mim.  Falo isso porque uma vez estava em uma lanchonete e sem querer escutei a conversa de uma noiva ao celular com alguém, ela estava completamente arrasada com  as provas que eram cada vez piores.  Bom… o final da minha história é que eu comprei o vestido um ano antes do casamento, fiz alguns ajustes, não minto, mas o amei do começo ao fim.

O que me fez focar na opção de comprar o vestido, é que os valores são menores que as locações e depois se você quiser poderá vendê-lo,  recuperando parte do dinheiro gasto. Uma outra opção é guardá-lo para a eternidade ou então agendar um trash the dress depois do casamento para fazer um ensaio sensacional (clique aqui para ler sobre o trash the dress).

vestido de noiva

vestido de noiva

vestido de noiva

vestido de noiva

Vestido: Maison Veridiane
Ajustes: Kiko Mocellin

  • 3

    Avaliação geral

  • Avaliação das leitoras: 2 Votos

Compartilhar

Sobre Rubia Rocha

Rubia Rocha, publicitária, designer e apaixonada por artesanato, estava decidida a produzir o seu próprio casamento na intenção de encontrar alternativas criativas para subir ao altar. Para se organizar melhor, começou a arquivar as melhores inspirações e ideias no Blog do casamento, que hoje é referência no assunto.

Você também poderá gostar de

7 comments on “O meu vestido de noiva

  1. Bruna
    7 de maio de 2012 at 11:37

    Adorei esse post e esse vestido é um sucesso!
    Queria ver mais fotos dele, rs

    Bjss

  2. Roberta
    7 de maio de 2012 at 13:50

    Lindo seu vestido!! Mas eu sou mais exagerada..rsrs.. Queria um vestido a lá Cinderela..rsrs.. Vi meu vestido no site de uma loja cara aqui de Fortaleza. Com a diferença de que eu não gostei de uma coisa. Ele era cheio de pedrarias e não queria pedras no vestido. Aih combinei 2 vestidos. Mas na primeira costureira que eu fui eu fechei. E valeu super a pena. Cheguei a ir na loja onde o vestido já existia e paguei menos da metade do valor de lá.=)

  3. Fran Huesa
    7 de maio de 2012 at 21:38

    perfeito seu vestidão hein…

    bjuu

    http://respireecase.blogspot.com.br/

  4. Juliana Matheus Pires
    16 de maio de 2012 at 17:42

    Flor, me diga uma coisa… como vc guardou o vestido por um ano? meu casamento é 21/09/13 e eu já encontrei o vestido perfeito pra mim, que já foi usado uma vez e eu realmente amei! Quero comprar, mas tenho medo de amarelar.

    • Rubia Rocha
      16 de maio de 2012 at 18:00

      O vestiudo estava guardado em um saco preto, mas ele amarelou mesmo assim. Quando comecei a reformar ele, o pessoal do ateliê tirou todo o amarelo com alcool, na hora da lavagem. Não sei bem como eles fazem, acho que ele fica de molho no alcool, mas pode ficar tranquila porque todo mundo que mexe com vestidos sabe como fazer para deixar ele branquinho denovo. É mais comum do que a gente imagina.

  5. Débora
    6 de junho de 2012 at 23:29

    Olá Rubia, ou me casar em Curitiba também e estou na mesma situação com o meu vestido, podes me passar o contato e endereço da sua costureira?

    • Rubia Rocha
      8 de junho de 2012 at 17:11

      Débora, eu comprei meu vestido no Maison Veridiane, em um bazar anual que eles fazem e arrumei ele no Kiko Mocelin, que também é ali no alto da XV, na Itupava.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado Os campos obrigatórios estão marcados com *

coemption-mortarless